A turminha do Nível I A das professoras Juliana Diniz e Luize Dorneles está desenvolvendo o projeto sobre Piratas. Um dos objetivos desse trabalho é o desenvolvimento da criatividade e da curiosidade.  Além disso, esse faz-de-conta auxilia a criança a interpretar e ressignificar o mundo e sua realidade, tudo isso de forma lúdica e divertida.

Nessa ocasião, aconteceu a leitura de uma carta escrita por um pirata especialmente para a turma, contando as suas aventuras. A história tinha como foco a interação, os mesmos desafios que o personagem enfrentou, as crianças foram instigadas a realizá-los, por exemplo: pular sobre águas-vivas, salvar golfinhos através do jogo de amarelinha e encontrar o tesouro perdido. Esse tesouro renderá muitas brincadeiras e diversão na pracinha.

A turma do 2°ano da professora Sheila Pedroso está desenvolvendo o projeto da Brasilidade, que este ano é o tema transversal da nossa escola. Eles estão conhecendo um pouco mais da nossa origem a partir da cultura indígena, aprendendo seus costumes e a sua culinária. Na ocasião, eles aprenderam sobre os alimentos de origem indígena que nós consumimos hoje, e depois colocaram esse aprendizado em prática, fazendo um delicioso bolo de milho.

A turminha do Nível II B da professora Gabriela Ortiz Prado está desenvolvendo o Projeto Super-Heróis. Ao longo do projeto, serão convidados outros profissionais para vir até nossa escola, para que estes contem um pouco mais sobre seu trabalho e quais são suas atitudes frente as coisas ruins que acontecem no mundo e o que eles fazem para mudar essa realidade.  O objetivo é desenvolver e oportunizar atitudes que valorizem o ser humano, despertando afetividade, autoestima, colaboração, respeito e cuidado com o bem público, fazendo com que cada criança se sinta um super herói por meio de boas atitudes.

Nesta ocasião, nossos heróis da imaginação convidaram os heróis da vida real para conhecer mais sobre o seu trabalho e saber o que eles fazem para salvar o nosso planeta.

A atividade "Conversas com Indígenas" proposta pelo professor Guilherme Chagas buscou desmistificar algumas verdades construídas sobre os indígenas, dando protagonismo dentro da Escola Pública para aqueles que tiveram suas histórias, práticas e culturas negadas e negligenciadas, sofrendo ainda com a falta de conhecimento sobre suas vidas. Estes povos que produzem uma cultura linda, sensível e cheia de aprendizagens e significados merecem nosso respeito e nosso conhecimento sobre seus legados e experiências. Degustamos alguns alimentos típicos dos indígenas como Bolo de Fubá, Pipoca e Chás. Agradecemos a presença da Jane e da Denise, das tribos Guarani e Kaingang respectivamente, por partilharem conosco suas sabedorias e experiências. O texto a seguir foi escrito por Potyratê Tupinamba, da tribo Pankararu e descontrói algumas ideias propagadas pelas mídias sobre o que é ser indígena:

Está sendo desenvolvido pela professora Jéssica Pereira, na turminha do Maternal I C da Educação Infantil, o projeto Os Índios no Brasil. Esta é uma forma de valorizar e resgatar a nossa história e das nossas raízes. Nesta ocasião, as crianças descobriram o som dos chocalhos, instrumento típico da cultura indígena. Foi um momento mágico, em que nossos pequenos tiveram a oportunidade de brincar com os sons e de entrar em contato com um objeto que pode não ser da realidade deles, mas que também é algo divertido e que deve ser valorizado. É preciso que o aluno conheça e valorize a pluralidade do patrimônio sociocultural brasileiro, bem como aspectos socioculturais de outros povos e nações, posicionando-se contra qualquer discriminação baseada em diferenças culturais, de classe social, de crenças, de sexo, de etnia ou outras características individuais e sociais.

Subcategorias